DE MACURURÉ NA BAHIA PARA O MUNDO!

domingo, 28 de maio de 2017

POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL DIVULGA RESULTADO DA OPERAÇÃO “KARIRI-XOCÓ II” EM PAULO AFONSO: “O CENÁRIO SE DESENHAVA TENSO”

Policiais se preparando para a operação em meio ao belo cenário do cânion do rio São Francisco (Foto: PRF-BA)
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou entre os dias 22 e 26 de maio em Paulo Afonso (BA), a Operação Kariri-Xocó II. A PRF foi acionada pela Subseção Judiciária de Paulo Afonso, em março deste ano, para que garantisse o cumprimento da decisão proferida pelo Juiz Federal João Paulo Pirôpo de Abreu, que versa sobre a reintegração de posse da fazenda Tapera de Paulo Afonso, habitada por índios da etnia Kariri-Xocó. 

A fazenda é localizada na margem esquerda da BR 110, KM 02. Essa reintegração, inicialmente, estava prevista para ocorrer no final do mês de março, porém uma decisão de segunda instância publicada no dia 29/03 suspendeu os efeitos da medida liminar, implicando no adiamento das ações, e deu prazo de 45 dias para que a área pudesse ser desocupada.   

A decisão pela execução da reintegração partiu de liminar da Justiça Federal de Paulo Afonso alegando que o prazo concedido pelo Tribunal Regional Federal da Primeira Região expirou. Desta forma, de posse do ofício da Justiça Federal, a PRF reiniciou todos os procedimentos para que a retirada das famílias acontecesse de maneira pacífica e ordeira. No entanto, durante o processo de coleta preliminar de informações, houve indícios de que, embora a comunidade indígena instalada na área em questão se mostrasse colaborativa, outros grupos menos amistosos chegariam ao local com a intenção de resistir à determinação.

Força de Choque da PRF também estava pronta para atuar, mas felizmente não houve necessidade, uma vez que a reintegração aconteceu de forma pacífica. (Foto: PRF-BA)
Como o cenário se desenhava tenso, foi elaborado um esquema que demandou convocação da Força de Choque da PRF, formada por policiais lotados na Bahia e em outros estados, de policiais do Núcleo de Operações Especiais (NOE) e dos Grupos de Patrulhamento Táticos (GPT’s). Cerca de 50 PRFs, inclusive de outras regionais, foram mobilizados para viabilizarem a reintegração. 

As equipes chegaram ao local três dias antes da data prevista para a ação, aproveitando esse tempo para reconhecimento do local, ambientação, treinamento e ajustes finais.   

Além da convocação de policiais treinados para ações dessa natureza, a PRF solicitou cooperação das Polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros, para que mantivessem agentes de sobreaviso no momento da reintegração; da Guarda Municipal e da Fundação Nacional do Índio (FUNAI). 
Ademais, a PRF oficiou à Secretaria de Desenvolvimento Social de Paulo Afonso e ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) solicitando apoio para o atendimento de possíveis feridos ou encaminhamento de pessoas em situação de vulnerabilidade social. A Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF) apoiou na retirada dos pertences das famílias que habitavam na propriedade. Todos os órgãos responderam de maneira positiva, colocando-se à disposição.

Frota da PRF de prontidão para a operação em Paulo Afonso. (Foto: PRF-Bahia)


A ação de reintegração ocorreu dia 25 de maio e transcorreu de forma pacífica, pois houve intensa negociação entre a PRF, Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual e a comunidade indígena. 

Os índios Kariri-Xocó foram acomodados em caráter temporário, porém sem prazo definido, em uma escola municipal desativada e em uma pequena igreja, ambas localizadas em frente ao local até então ocupado. 

Fonte: PRF-Bahia/OZILDO ALVES
Postar um comentário

SEGUIDORES DO BEIRA RIO NOTÍCIAS